09set
2014
0

Cuidados com brinquedos musicais piratas

 

Bebê-com-dor-no-ouvido1Bebê-com-mão-em-ouvido1bebe-tapando-os-ouvidos-pelo-barulho-altoVocê já reparou na quantidade de brinquedos piratas que seu filho tem? Nos últimos dias eu prestei atenção aqui em casa, e reparei que o Caio tem uma verdadeira horda de bugingangas piratas. Observando com mais detalhes, vi que muitos deles são musicais. [Estou considerando pirata musical qualquer brinquedo que emita sons, isto é, dinossauros, microfones, carrinhos, guitarras,... e que não são certificados pelo Inmetro]

Então decidi dar uma pesquisada, e entender melhor os perigos que um brinquedo musical pirata pode oferecer.

Vamos começar do começo! Como foi que esses brinquedos chegaram na minha casa.

Nem eu, e nem minha esposa nunca tivemos o hábito de comprar brinquedos em camelôs, então como o Caio têm tantos?

Simples! Aí entra a parte delicada da história, mas que com certeza você já deve ter passado e saber a resposta. Nada como os mimos dos avós, amigos, tios e afins. Obviamente que eu sei que nenhum deles achava que esses brinquedos poderiam oferecer algum mal, mas daqui para frente, esclarecer é preciso…

Brinquedos piratas são muito perigosos, por conter menor custo também contém menos qualidade, e isso vai desde a tinta que foi usada e pode ter componentes tóxicos, passando pelas partes que não foram testadas em sua durabilidade [ quebra e solta peças fácil], até os sons que muitas vezes podem ultrapassar o recomendado pela Organização Mundial de saúde – OMS.

Como o post é sobre Brinquedos musicais piratas, irei focar nos perigos sonoros, os outros deixo para um outro Artigo.

Quando se trata desse tipo de brinquedo, o problema central está no fato de que como eles não passaram por testes de emissão de som, a chance de que emitam ruídos acima de 85 decibéis é muito alta.

E por que ficar abaixo de 85 decibéis é importante?

Por que de acordo com a Norma Brasileia NBR 105152 (ou ABNT NB-95) esses são os valores máximos recomendados para exposição diária.

 

Nível de ruído dB (A)

Situação de risco

Máxima exposição diária permissível

85

Toque do telefone

8 horas

90

Secador de cabelo

4 horas

95

Trânsito

2 horas

100

Cortador de grama, maquita

1 hora

105

Som do helicóptero

30 minutos

110

Britadeira/Buzina de carro

15 minutos

115

Turbina de avião

7 minutos

130

Show, caixas de som

7 minutos

Não seria nenhum exagero imaginar que alguns desses brinquedos cheguem facilmente a uns 110 ou 120 decibéis, algo semelhante ao barulho de uma britadeira ou turbina de avião.

Tá Duvidando!?

Então saiba que uma pesquisa realizada pelo Hospital das Clínicas de Porto alegre, liderada pela fonoaudióloga Priscila Sleifer, identificou que 88% dos brinquedos piratas testados provocavam sons acima do máximo permitido.

De acordo com a pesquisa, um carrinho de polícia “pirata” registrou 126 decibéis. Esse barulho é maior do que o de uma britadeira!!

Em um outro exemplo, um telefone registrou 120 db e uma joaninha 90 db.

É claro que a relação de periculosidade desses níveis de ruído está diretamente relacionada com o tempo de exposição e o ambiente em que a pessoa se encontra. Só que nos casos de crianças pequenas, o ambiente costuma ser o quarto ou a sala de estar, ou seja, um ambiente totalmente fechado, o que aumenta em muito o efeito do barulho.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o máximo que nossos ouvidos devem ser expostos são os barulhos de até 70 decibéis, de 70 a 85 é incomodante, acima de 85 começa a ser prejudicial para a audição humana. Agora imagine essas “pancadas” no ouvido de uma criança.

Os menores de três anos em especial são os mais afetados pelo uso continuado desses brinquedos e o resultado além de danos na audição, será também a dificuldade no desenvolvimento da fala.

Portanto, evite brinquedos musicais piratas, os benefícios são mínimos e os perigos gigantescos.

 

Fundador da empresa Brinquedo Amigo, matemático, viciado em café e apaixonado pela experiência de ser pai.

Sem Comentários

Resposta